sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Como se fosse um anjo

             Eu entrei naquele ônibus acreditando que possuía um destino. Totalmente lotado e só poderia seguir a viagem em pé, até quis pegar o próximo ônibus, no entanto para a minha desilusão subi nele mesmo. Fui me acomodando e encotrando o meu lugar, coloquei minha bagagem no compartimento que fica superior as poltronas e de uma forma suicida desci os meus olhos na poltrona mais próxima  e os fixei num anjo que descansava em um sono gracioso. Analisando aquela figura bem trabalhada, desenhada com tanta ternura por Deus,tentei desvendar os seus sonhos e fui descobrindo o seu encanto.
             Lábios carnudos e avermelhados, o seu queixo era tão pequeno, possuia traços finos e delicados. De repente ela respirou fundo, muito profundo. Por isso foi impossivel  não contemplar o seu belo busto, que subiu e  desceu rapidamente, singelo e coberto por uma seda morena, enfeitado com sinais negros. Pontinhos perfeitos que atraiam o meu olhar, bem ordenados me levavam ao caminho de seu pescoço esbelto, de onde escorria  uma mecha de cabelo negro e ondulado. E com o estilo do corte, outras mechas descia pelo rosto e encontrava seus olhos fechados, um segredo que me chamava a atenção.
           Olhei para os dedos de sua mão esquerda temendo encontrar um anel de ouro ou prata, porém só avistei dedinhos finos e compridos. Procurei a outra mão - talvez ela seja noiva, pensei - mas estava escondida segurando os pés, os quais se firmavam na poltrona. Vendo isso fiquei ainda mais encantado, ela cabia direitinho ali e tão pequenina caberia facilmente em meus braços.
            Caindo em mim vi que já havia lugar para sentar, mas era tarde demais e já estava enfeitiçado. Por um instante fiquei com medo de seu cavalheiro está me observando a distância, mas me tranquilizei, pois se existesse alguém ali, amado por aquele anjo, com certeza estaria por perto. Mais iludido com a ideia de não está sendo vigiado, observei a moça que estava  ao seu lado, com traços semelhantes me fez acreditar que seria sua irmã, então resolvi encaixar os olhos negros dela no rosto da minha bela menina. Porém, não conseguir realizar a imaginação.
            Já quase no meio da viagem, para o meu desalento, ela abriu os olhos e pela posição que estava teve a única opção de encarar o meu olhar que timidamente se joga para o chão do automóvel. E ela virou-se para a sua companheira de viagem sorriu de uma forma tão bela, tornando de mim o homem mais feliz e infeliz do mundo. Se antes ela já me parecia um paraíso, depois daquele sorriso tornou-se  o meu descanso e o meu céu. E essa magia foi apenas por alguns instantes, afinal o meu anjo preguiçoso voltou a dormir e a sonhar. Foi melhor assim, pois eu precisava aproveitar os seus olhos fechados para continuar me envolvendo.
            Apartir desse momento eu comecei a adormecer na minha própria fantasia, no meu sonho eu aproveitei o movimento do veículo e fiz algumas perguntas para o meu amor. perguntei se me amava, o ônibus a balançou para cima e para baixo, trazendo à mim uma resposta positiva. Depois lancei a proposta de nos casar, mas o movimento foi negativo. Então fiz uma pergunta que para minha aflição existiu uma resposta.
- Por que não podemos nos casar?
Então ela trouxe a mão direita que segurava os pés pequenos, colocou sobre o colo e anunciou o seu noivado. Desiludido de meu amor, desci no primeiro ponto que me veio e nunca mais esqueci o anjo que encontrei descansando, embalado pelo movimento do ônibus.




J.A. de Jesus.

2 comentários:

  1. Gostei banstante da postangem, você consegue reunir os traços do romantismo e de alguns outros movimentos do passado com a inserção dos elementos contemporâneos. Tudo isso em uma história envolvente e que transmite o mesmo sentimnento do personagem ao aoutor. Parabéns!
    Assim como eu, você também precisa de um revisor pros seus textos pois existem algumas falhas quanto à colocação pronominal e vocabulário. Mas isso é tão normal em nossos textos que não conseguimos mesmo notar sem o auxílio de outra pessoa. (se quiser, eu posso ajudar com isso, poderíamos ver até se é possível a ajuda mútua, como leitores beta/revisores, mas é só um pensamento, se quiser, entre em contato comigo).
    Enfim, gostei bastante do texto, muito bem feito e construído (nesse ponto devo dizer que as construção dos personagens foi muito bem elaborada). Parabéns.

    p.s.: não sou profissional nem nada, só gosto de escrever e encontrei no blog um espaço experimental. Mas obrigado pela visita e pelo comentáro.=D

    ResponderExcluir